Debê Produções » Nova parceria abre Palavras Cruzadas


Nova parceria abre Palavras Cruzadas

Mariana Aydar canta Nuno Ramos em show no Oi Futuro Ipanema (Silvio Essinger)

Artista visual, escritor e cineasta, Nuno Ramos enxerga mistérios na composição de música popular. Ao falar disso, vem à memória uma frase que atribui a Nando Reis:  “A canção, antes de ganhar arranjo, é meio como uma alma penada”. É com um misto de surpresa e admiração que ele vê essas almas ganharem forma em um espetáculo inteiro, na voz da amiga (e parceira) Mariana Aydar. Hoje, eles abrem temporada do projeto Palavras Cruzadas com a estreia do show de suas canções.

– É chocante para mim ser tratado como compositor – admite Nuno, que já teve músicas gravadas por Mariana, Gal Costa, Romulo Fróes e Nina Becker. – É engraçado, porque quando eu faço exposição, é uma coisa para amanhã, estou sempre atrasado. O mesmo com a literatura, que é mais lenta. A canção, eu faço e não reescrevo. É uma mágica.

O show foi montado em pouco mais de três semanas.

— Na reta final, o Nuno me mandou mais 60 músicas. Uma mais linda do que a outra – revela Mariana, que tinha feito com ele “Poeira” e “Vem na voz”, ambas no espetáculo.

– A primeira música que fizemos juntos foi “Tudo que trago no bolso”, que acabou entrando no meu segundo disco. Ele escreveu a letra que eu pensava para aquela melodia sem eu falar absolutamente nada. Dessa série de músicas adicionais, o espetáculo absorveu “Mamãe, papai”, “Dedo duro”, “Cabou” e “Dentro das rosas”, parcerias de Nuno com Clima (o artista plástico Eduardo Climachauska, que faz participação especial no show).

Diretor musical do espetáculo, Duani Martins explica que o instrumental, com três percussões, guitarra (de Guilherme Held) e baixo (tocado por ele mesmo e por Mariana) envereda por um “pop primitivo”.

—Levei a percussão para a ancestralidade, mas sem ficar no passado ou na religiosidade. Quis ir ao cerne dos instrumentos.

 



VOLTAR